Vivendo no Texas – Choque Cultural!!!

A mudança para um novo país é uma mistura de emoções. Chegadas e partidas!! Incertezas e cheia de expectativas. Como segurar toda esta ansiedade? Como as coisas funcionam e como as pessoas se relacionam? Elas são parecidas ou não com o nosso jeito brasileiro? Como é o processo de adaptação? A maioria das empresas oferecem aos seus funcionários e familiares um apoio na mudança para o novo país. Curso de língua, fornecem informações sobre a cultura e cursos sobre os costumes locais. Os Estados Unidos são um país ocidental tão conhecido mundialmente que muitos pensam não haver necessidade de tal ajuda. Engano total!! A cultura é bem parecida mas pode haver algumas coisinhas que deixam o novo morador desavisado em uma saia bem justa.

scrum-cultureshock

Cultura é um “trem” tão complicado que eu tenho até medo de abordar no meu blog.  Leio em muitos blogs afirmações, não digo incorretas mas incompletas, sobre a cultura americana e muitas outras sobre a cultura brasileira. Acontece muita generalização sobre estes dois tão grandes países que são uns dos maiores do mundo. O mesmo acontece quando vejo blogs estrangeiros falando do nosso Brasil. Generalizam como se todas as regiões fossem exatamente iguais e todos nós sabemos que as regiões são bem diferentes. Sempre tento explicar para os americanos e outros estrangeiros como no Brasil tem vários “Brasis”. Todos perguntam de onde eu sou. Interessante como todos escolhem como referência o Rio de Janeiro ou Amazônia!! Querem saber se é perto. Uau!!! Que contraste!! Enfim, todos entenderam o meu ponto. Para quem ainda não sabe de onde eu sou. Sou de Minas!! Uai!!

A barreira da língua é uma das coisas mais frustrante de um expatriado. Embora alguns vizinhos e pessoas da escola dos filhos te ajudarão e incentivarão, muitos outros lugares não te entenderão e não terão a mínima paciência em tentar descobrir o que você deseja. Aqui não acontece como no Brasil em que o “gringo” fala tudo errado e cheio de sotaque e mesmo assim todos se esforçarão para entender e ainda achar bonitinho. Aqui ninguém puxa saco do estrangeiro. Cansei de ouvir assim que me mudei, “Do you speak Spanish?” e já te deixam falando sozinha para procurar rapidamente um funcionário que fale uma língua próxima a sua e se livrar logo da gente. Surpresas em restaurantes ou compra de um produto errado no supermercado, difícil encontrar alguém que não tenha passado por isso. Esta dificuldade na comunicação leva muitos ao isolamento, ao convívio restrito dentro da própria comunidade do país de origem, a procura quase que obrigatória de profissionais de saúde e serviços que só falem o próprio idioma. Enfim, tira a segurança em resolver sozinho os diversos tipos de problemas sem a ajuda do cônjuge, amigos ou parentes. O estudo do novo idioma deveria ser prioridade para o recém chegado para a sua melhor adaptação. Parece básico mas não acontece tanto quanto muitos imaginam. Não raro encontrar pessoas que moram há anos nos EUA e não falam o idioma inglês fluente. Acomodar dentro da própria comunidade é uma tentação perigosa.

Para falar de outros estados americanos e principalmente “generalizar” eu teria que pesquisar muito sobre eles e, mesmo assim, seria a opinião de terceiros; ou teria que ter morado um bom tempo neles. Mesmo assim já seria um equívoco pois os bairros são tão diferentes e as pessoas são tão únicas que não faria sentindo nenhum. Acho muita coisa legal e interessante em diferentes blogs que falam da região em que moram mas recomendo a ficarem atentos às generalizações. O que nós brasileiros iremos encontrar quando nos aventurarmos por estas bandas? Um blog de uma brasileira que mora nos EUA/Texas, Colagem, tem uma espaço que se chama Vida nos EUA em que a autora convida moradores de diferentes cidades/estados para contarem um pouquinho sobre onde vivem. Adoro!! Sempre que posso eu leio pois eu curto muito!! Fica a dica!!!

Eu vejo algumas coisas típicas da cultura americana por aqui mas quero enfatizar que moro no Texas. Estado sulista com grande influência hispânica e ultimamente asiática forte. Recebo muitas perguntas bem específicas sobre hábitos alimentares, grupos raciais e trânsito que a resposta sempre vai ser depende. Cada região do país tem sua comida, seus costumes, sua história e influência. Grandes diferenças entre as cidades litorâneas, rurais ou as bem populosas. Algumas cidades americanas tem um sistema de transporte espetacular e outras são uma vergonha. Algumas vezes eu vejo brasileiros revoltados com algumas coisas que acontecem no Brasil e falam que nos EUA não acontece. Como assim? Como ele pode saber e afirmar tal coisa? Passear uma ou duas vezes por ano em Nova York ou Miami não faz ninguém especialista no modo de viver americano e o que eu acho bem pior, generalizar para todo o país. Aqui também acontece um monte de coisas que eu nunca gostei em lugar nenhum.

Aspects-of-Culture-Beyond-Language-infograph-869x1024

Imigração

Todo mundo estudou ou deveria ter estudado nos livros de história como a colonização foi diferente entre os EUA e Brasil. A língua e todos os costumes tiveram uma grande influência na construção da identidade própria de cada país. Os EUA pela sua história de imigrantes estão acostumados com a chegada incessante de novos povos mas isto não quer dizer que eles sejam abertos à imigração. Diferente de como muitos podem pensar, os EUA não tem uma política de imigração como tem o Canadá e Austrália, por exemplo.  A sociedade, hoje, se divide entre os abertos ou fechados às imigrações. As leis estão tentando resolver o grande problema da ilegalidade e assim, aumentar a inclusão social.

Nossa origem latina deixou muitas marcas que eu admiro muito. Somos um povo alegre, comunicativo e festeiro. Adoramos um barulhinho, falar alto, dar risadas, uma música na churrasqueira. Enfim, uma bagunça!!! Isto já não acontece muito com os próprios americanos. Moro em um estado com grande influência hispânica e ficou bem mais fácil a minha adaptação pois a cultura é bem semelhante. O povo latino que reside por aqui costuma ser bastante comunicativo assim como a maioria dos brasileiros. Os grupos de imigrantes se fortalecem em comunidades e conservam sua cultura. O americano não costuma puxar conversa “do nada” e se sentem muito incomodados quando alguém encosta ou se aproxima demais. A distância “ideal” seria meio braço. A escola ensina constantemente estas “regrinhas sociais”. O contato físico, como cumprimentar com beijos e abraços, é mais raro.

O povo americano tem uma grande diversidade étnica e cultural. Em algumas regiões mais que outras acontece um intenso convívio com estrangeiros. As crianças se socializam e interagem nas escolas e na comunidade bem mais que os pais. Participam de eventos, playdates nas casas dos amiguinhos, brincam na rua e nos condomínios e também nas festinhas de aniversário. A cada geração de filhos nascidos no país, filhos de imigrantes, se perde alguma coisa da cultura do país de origem e incorpora as maneiras locais. Quais são estes hábitos? Serão discutidos ao longo do post.

diversity

Nacionalismo e Cidadania

Esta questão é complicada mas vamos combinar que alguns países são bem mais nacionalistas que outros. Por aqui, o juramento à bandeira é recitado todos os dias nas escolas e como a grande maioria das crianças nos EUA frequentam a escola pública e tem acesso a esta educação moral e cívica este hábito acaba sendo bastante reforçado. A bandeira americana é colocada na frente das casas e em dias comemorativos como o 4 de Julho e Memorial Day, por exemplo, elas se multiplicam. O hino nacional é tocado em diversas situações a ponto de quase já saber a letra. O alistamento não é obrigatório e não falta adesão como também o direito de voto. Vota quem quer!! O povo reconhece o sacrifício de seus combatentes de guerra e vários serviços são oferecidos gratuitamente ou com descontos. O Memorial Day é um feriado nacional que acontece na última segunda-feira de maio e é dedicado às perdas humanas durante a guerra. Para quem chega no primeiro momento acha estranho este excesso de patriotismo. Afinal, somos um país sem grandes históricos de guerra. Achamos exagerado e aumenta o índice de rejeição sobre os americanos. Os cidadãos são orgulhosos por serem americanos e estampam em todos os lugares possíveis esta adoração à nação. As lojas vendem tantos enfeites com referência à bandeira que fico só imaginando quem compra tudo isso.

American-flag-on-the-front-porch-of-a-house-in-white

Quando eu falo nacionalismo e exercício da cidadania não estou só falando sobre guerras e bandeiras mas também do cuidado com a comunidade. O voluntariado é muito forte. No jornal do bairro são oferecidas vagas em hospitais, escolas, clínicas de idosos e muitos outros. Faz parte da cultura americana as associações de bairros atuantes, associação de pais e mestres nas escolas, o patrulhamento intenso, o cuidado com os bens públicos como praças, parques e escolas. Compromisso em ensinar as crianças desde pequeno as regras da sociedade, respeito ao espaço do outro e o entendimento completo do coletivo sobre o individual. Cuidado com o meio ambiente com programas de reciclagem e cuidados com o lixo fazem parte da rotina de uma família comum. Na minha rua todos tem sua caixinha separada para colocar o lixo reciclável. Manter a cidade limpa. A população se envolve com as tragédias que ocorrem e tentam ajudar com doações e voluntariado. Denúncias de violência doméstica e maus tratos são frequentes. O engajamento social ocorre em algumas regiões mais do que outras. Escuto de alguns brasileiros como não faz sentido muitas destas ações. Como sempre falo, tem gente de todo tipo mas é mais ou menos isto que você encontrará quando chegar nos EUA. Pode ser parecido com o que você já está acostumado dependendo de onde mora no Brasil, mas pode ser também completamente diferente para outros que moram em outras regiões.

Impostos e Seguro Saúde

Sair do Brasil com taxas de IPTU baixas e convênios de saúde com cobertura total deixam o brasileiro super desacostumado. Estes dois aqui são dois dos maiores custos de uma casa. O “IPTU” varia muito de cada região mas não fica por menos de 2,5% do valor total da casa. Esquece aquele valor venal nas escrituras brasileiras em que as prefeituras utilizam para o cálculo do imposto. Aqui um apartamento de 1 milhão terá um imposto anual por volta de $25ooo para mais. Dureza!!! Vale lembrar que este imposto é realmente utilizado na sociedade e principalmente nas escolas públicas. Muitos argumentam que pagam feliz devido ao retorno mas não quer dizer que as continhas não tem que bater no fim do mês.

A questão de plano de saúde é outro choque quando alguém se muda para os EUA. Não tenho intenção nenhuma em solucionar todas as dúvidas neste assunto tão complexo. Muitos outros blogs desempenham bem melhor este papel mas vale lembrar que o seguro saúde não é nada barato e oferece para o usuário acesso a uma excelente saúde mas sempre terá, além do custo anual, um gasto adicional nas consultas médicas. As empresas americanas muitas vezes não oferecem o plano de saúde integral no pacote de benefícios. É comum negociarem um valor um pouco melhor para os seus funcionários mas também varia muito de cada empresa. O modelo de saúde aqui é bem diferente do modelo brasileiro. Correr para a emergência do hospital toda vez que o filhote tiver uma febre misteriosa não irá funcionar por aqui de jeito nenhum pois quebrará a planilha de gastos mensal. Ao acionar o seguro em uma Emergency Room, pagará inevitavelmente o que eles chamam de deductible (franquia) pois a conta do hospital será monstruosa. Durante os finais de semana, a maioria recorre às Urgent Care e pagam uma consulta mais barata. Casos mais graves sãos encaminhados para as Emergency Room ( maior custo). A idéia do seguro saúde aqui é a mesma do seguro de carro. Todos que o possuem torcem para não ter que usar mas não recomendo ninguém a não ter. Minha amiga desavisada, assim que se mudou para os EUA, me mostrou uma conta de uma ida ao hospital ( Emergency Room) por causa de uma cólica renal. Saiu de lá após alguns exames com o diagnóstico de infecção urinária. Medicação na mão. Após um mês chegou a conta do hospital em seu endereço. $10.000. A parte deles (deductible mais coparticipação)  ficou em $2500 pois eles tinham o seguro saúde, o restante a seguradora acertaria com o hospital. Não é brincadeira!! Tentem evitar os Emergency Room ao máximo. Usem em casos em que realmente for uma emergência.

E o SUS? Por aqui tem um SUS? Não!!! Famílias mais carentes tem acesso a muitos serviços públicos nas clínicas do governo mas não sei informar como funciona. As escolas públicas tem o cadastro das famílias carentes. Vejo muita ajuda aqui mas a pessoa tem que ser carente para usufruir. Não é um acesso universal como no Brasil. O Obama Care tornou obrigatório a compra do convênio ou o pagamento de uma multa. Enfim, não sei detalhes. Maiores informações aqui.

Estilo de vida

O estilo de vida americano aqui no Texas é “simples” e bem familiar mesmo morando em casas grandes e dirigindo carros potentes e modernos. A classe média aqui é um pouco diferente do que estamos acostumados no Brasil. Parece que tem menos frescura. Ela não faz parte da elite do país com empregados e cheia de serviços luxuosos à sua disposição. Ela veste o que quer. Não há uma ditadura da moda. Unha feita é a exceção e não a regra nas rodinhas com as amigas. Não posso dizer o mesmo sobre maquiagem. As americanas adoram e eu também!! 🙂 É muito comum o piquenique no parque, praia, clube ou qualquer outro lugar que ela deseja por opção e não só por ser a única maneira possível de refeição fora de casa. Assim como o churrasco. No Brasil, seriam rotulados como “farofeiros”. Programas ao ar livre são super estimulados. Parques, trilhas e clubes comunitários. Geralmente nos parques as áreas para crianças não toleram adultos sem crianças por medida de segurança. A classe média frequenta a escola pública mesmo morando em casas de mais de 1 milhão de dólares. Viaja de carro para cima e para baixo, fica em hotéis familiares e econômicos e compra roupas para os filhos no Walmart, Target, GAP e muitos outros lugares super em conta. Adoram uma promoção e cupons de desconto. Ninguém se incomoda com a fila lenta no caixa no supermercado por causa dos intermináveis cupons. As festinhas de aniversário são curtas (2 horas) e sem firulas. Geralmente não tem bebidas alcoólicas mas já fui em algumas que tinham. Aos olhos brasileiros podem parecer um pouco sem graça mas no final as crianças se divertem muito e acredito que esta seja a proposta. Americano não costuma fazer muita gracinha com as festinhas de aniversário. A falta de pontualidade é um problema real crônico do brasileiro e chega a ser constrangedor nos eventos. Americano é muito pontual e os eventos começam na hora definida. As festinhas de aniversário começam na hora definida e os pais buscam realmente no horário estabelecido. Nos convites estão explícitos se a festa é somente para o coleguinha de sala ou será extendido para os irmãos ou para toda a família. É muito comum os convites on line (como o Evite) com o pedido de confirmação e o número de convidados que irão. Gift card é uma forma de presente muito mais comum do que a gente imagina e muito diferente do Brasil. As gorjetas variam entre 15% a 20%  nos restaurantes e ela é acrescida no fim da conta pelo próprio cliente. Ela não é obrigatória mas faz parte da cultura americana. Todo mundo dá. Costuma-se dar gorjetas para os serviços em geral ( cabeleireiro, hotel, manicure, etc). Mesas acima de 5 clientes, os restaurantes costumam enviar a conta com os 20% da gorjeta já inclusos.

029canon

DOLORESPICTURE

A condição da moradia é um grande indicador de desenvolvimento de um país. As casas são bem equipadas e preparadas para as estações do ano. Os produtos de limpeza facilitam o cuidado diário em uma casa que não costuma ter empregada ou faxineira em que todos tem uma tarefa. A compra da casa própria é estimulada. A taxa de juros anual é bem baixa e quase todas as pessoas adquirem o seu próprio financiamento. Nos casos do aluguel quem paga os impostos da casa e algumas outras taxas é o próprio proprietário. A classe média adora se refugiar nos subúrbios e aproveitar um estilo de vida bem tranquilo.

suburbio-sanjose-california

Vale lembrar que em muitos estados é proibida o consumo de bebidas alcoólicas em parques, praias ou nas ruas. Crianças não podem comprar, claro, mas também não podem segurar uma garrafa de bebida alcoólica nos supermercados. A identidade é solicitada por lei em todas as compras. Não esquecer de levar sempre que for sair a noite pois é difícil entrar em um estabelecimento sem ela. O jeitinho brasileiro por aqui não funciona. A entrada de menores de 21 é permitida em alguns estabelecimentos mas é comum o carimbo em várias partes visíveis do corpo mostrando que está vetado o consumo de bebidas alcoólicas.

Preparar os filhos para a vida adulta é um desafio da família americana. Somente uma pequena parcela da população solteira ainda vive com os pais. Cada um toma seu próprio rumo na vida bem antes de se casar. Alguns já saem quando vão para a faculdade em outra cidade ou estado. Conversando com as mães dos coleguinhas da escola percebo que muitas americanas estão bem longe de sua cidade natal e a família está espalhada pelos EUA. Interessante perceber que muitas estão no mesmo processo de adaptação ao estilo texano. Todos adoram o clima mais quente do Texas. 😛

Por aqui no Texas todos são realmente muito gentis e se cumprimentam mas não ficam se estendendo batendo papo. Seguem as regrinhas básicas da boa convivência. Costumam pedir licença sem se esbarrarem e se desculpam naturalmente o tempo todo. Seguram a porta para o próximo. Dão preferência para as mulheres em muitas situações. Não vejo em filas dando prioridade para idosos. Esperam que as crianças saibam se comportar muito bem em ambientes mais formais. Olhares repreendedores são lançados para os pais e crianças mais pirracentas ao invés de sorrisos compreensivos. Os restaurantes estão preparados para receber crianças com menus infantis bem mais em conta. Bares tem sua política própria para a permanência de menores. Alguns liberam até um certo horário e outros proíbem a entrada. Uma coisa super comum é o bar ou restaurante trazer a conta sem pedirmos mas o cliente está super livre em pedir mais coisas. Claro!!! Se o espetáculo é infantil. Festa total!!! A movimentação é grande e ninguém reclama a circulação intensa para banheiro e lanchonete o que teoricamente atrapalharia a platéia. Não vejo por aqui muito “barraco”. As pessoas tentam resolver as coisas calmamente mas também é raro encontrar algum estabelecimento que destrata o cliente. A política do cliente tem sempre razão é bastante aderida por estas bandas. Qualquer produto comprado pode ser devolvido mesmo que não esteja estragado. Lembrar sempre de guardar o cupom fiscal, assim é só ir na loja e pedir a devolução. Eles fazem o return e o valor é creditado no cartão de crédito.

Esporte

Febre nacional!! Verdadeiros espetáculos!! Ele faz parte da vida familiar americana. Eles assistem e praticam intensamente. Torneios de diferentes modalidades acontecem durante os fins de semana e prendem a agenda de toda a família com os treinos. Bolsas de esporte para as melhores universidades são bem disputadas e é um sonho americano. As meninas populares entram para o grupo de cheerleaders. A sensação que dá é que seu filho é um ET se não participar de alguma atividade física. Difícil é explicar para esta criançada que o importante é se divertir com tanta pressão e competitividade entre os pais e treinadores.

 Foto-esporte-futebol-americano

Varsity_Cheer_2010

Escola/ Educação

Assunto já muito discutido no blog mas vale lembrar que é coisa muito séria para os americanos. Os processos em geral são bem burocráticos, cheio de regras e sem exceções. O ambiente escolar é bem formal e sério. Os professores não são tios ou tias e são chamados pelo sobrenome assim como o restante da população. Amigos mais íntimos se chamam pelo primeiro nome. As faltas nas escolas públicas não são toleradas. Multas e visitas à corte acontecem quando o número de faltas excede o permitido em um determinado período e não são justificadas (atestado médico). Então nada de fugir por 15 dias para a Europa no meio do mês de abril para aproveitar aquela mega promoção única de passagens para toda a família. Vale lembrar que crianças menores de 12 anos são desestimuladas a ficarem sozinhas em casa. A assistência social pega pesado com as denúncias. Outro fato super polêmico são os “tapinhas”. Proibido!!! Não espere muito bom senso na hora das briguinhas nos parques. O melhor a fazer é não discutir e se afastar. Pais americanos raramente gritam com seus filhos em público.

Mercado

A cultura ocidental americana é focada em um modelo econômico capitalista competitivo que o coloca no topo do mundo. Posição desejada e odiada por muitos. O sonho de ficar rico nos EUA ronda a cabeça de muitos. Reconhecido como um país de grande mobilidade social em que o espírito inovador e empreendedor aliado ao trabalho árduo florescem. Sendo assim, faz com que os EUA seja o país com maior número de imigrantes no mundo. Após uma rápida pesquisa já se constata que abrir uma empresa nos EUA é mais rápido, fácil e com taxas muito menos abusivas. As grandes cadeias  ou franquias de supermercado, lojas e restaurantes oferecem preços bem competitivos. A qualidade muitas vezes pode ser questionada mas no fim o acesso aos diversos produtos é grande pela população. Difícil conseguir um restaurante familiar que não seja de uma grande cadeia e quando achamos, com certeza, ele terá um custo bem mais elevado. Estas cadeias possibilitam o acesso de todos a uma refeição fora de casa. Hábito reservado a uma pequena parcela da população de muitos outros países. Considero a cultura americana bastante consumista e exagerada. Eu não me identifico com este estilo de vida. Claro que aproveito o menor custo de ítens essenciais e necessários. O nosso carro fica na garagem mas isto é raro. Os carros costumam ficar na rampa de acesso da garagem pois a garagem está abarrotada de coisas que nem deveriam ter sido compradas. Minha opinião.

Bin-Laden-Wall-Street-reaction-CL3OD3P-x-large

Liberdade de expressão

A idéia é ótima mas na prática não é bem assim pois ninguém gosta de ouvir barbaridades em praça pública. Leis federais tentam diminuir ou restringir esta liberdade de expressão sem ferir a constituição. Grupos nazistas, racistas, xenófobos, homofóbicos e muitos outros tem seus canais e espaço. A disseminação do ódio é protegida por lei em defesa da democracia. 😦

Religião

A grande maioria da população é cristã (75%). A maioria é católica (25%) mesmo sendo colonizada pelos ingleses (protestantes) mas teve uma grande imigração de irlandeses, espanhóis e alemães (católicos) desde o início da colonização. A crescente imigração de latino americanos tem aumentado o número de católicos. Este grande número de religiosos deixa o país com valores bastante conservadores. Interessante pensar nas inovações e revoluções culturais que acontecem nos EUA, vale lembrar que tomam força devido a liberdade de expressão, mas a sociedade se mantém bastante moralista. A onda modernizadora que acontece no mundo inteiro em maior ou menor escala, tem deixado os americanos preocupados com as “perdas dos valores”. A sociedade americana é alicerçada na Igreja formando os grupos na comunidade. Aqui no Texas, lei estadual, as bebidas alcoólicas não são vendidas até o meio dia de domingo. Horário que as famílias estão nas igrejas com seus melhores trajes. Postura bem conservadora!!

Música

Grandes artistas fizeram história e sucesso no mundo todo. Berço do Jazz, Blues e junto com a Inglaterra do Rock and Roll. Mesmo não sendo meu estilo musical o hip hop estoura nas paradas de sucesso e influencia demais o estilo dos jovens americanos. Chocante perceber que todos ouvem mesmo. Não gosto nem de pensar no futuro dos meus filhos. O meu trabalho terá que ser intenso para tentar alguma influência sobre eles. Quem sabe? O que eu adoro mesmo por aqui são os festivais nos parques. Alguns são gratuitos. Acontecem no verão no país inteiro. Ficar atento às programações!!

fpsf-13-matt-and-kim

international-festival-640x340

Uma saidinha para dançar rende momentos de muita descontração. Toca de tudo mas alguns lugares são mais country que outros. Os americanos aqui no Texas não costumam assediar as mulheres de forma desagradável. Pelo menos foi até agora a minha experiência, não é comum beijos e pegação pelos lugares que tenho ido mas algumas danças são bastante provocativas e chocantes. Caso do twerk. Escuto que a vida universitária é bem agitada e louca mas é uma faixa etária bem jovem e quase sempre inconsequente. A tendência é diminuir com a maturidade como em qualquer outro lugar do mundo.

Segurança

Lembro da minha primeira noite morando na nossa casa no subúrbio de Houston. Não consegui dormir direito com a sensação de insegurança trazida do Brasil. Como dormir nesta casa sem muros, sem grade nas janelas, trincos que não saem da porta do lado da janela de vidro sem grade também no lugar de três ou quatro tetra chaves e travas de segurança. Andava com os vidros fechados no carro e com medo de ser roubada o tempo todo. Para a minha felicidade este sentimento tem diminuído bastante e tenho ficado bem menos tensa. Tem lugares mais perigosos que outros, claro!! Vejo quando passo por alguns bairros, algumas casas com portas duplas com grade e também grades na janela. Aqui também tem violência. A sensação de segurança é maior que no Brasil mas acontecem crimes também. O Walmart e as redes de farmácia são as campeãs nos noticiários locais. Ficar atento nos horários noturnos. Postos de gasolina em áreas mais perigosas. Como saber? Aos poucos quem se muda acaba descobrindo e para quem está visitando é mais difícil mesmo. Os postos de gasolina aqui são self service. Bombas que o pagamento deve ser feito na loja de conveniência costumam ficar em áreas mais perigosas. Fica a dica!!!

Moro no Texas. Estado com polícia linha dura. Leis firmes. Os cidadãos costumam ter armas em casa e andar armado também. Casas de tiros estão espalhadas pelo estado e também acontece muita caça. Não gosto mas não entro em discussões a respeito. Quem tem interesse em vir para cá e muitos outros estados americanos tem que ter consciência desta realidade nacional. A maioridade penal varia muito em cada estado mas continua sendo linha dura. Impunidade zero!! A polícia para o carro para aplicar a multa. Raro os radares. As viaturas podem ficar visíveis ou escondidas. No geral, é uma sociedade que se processa muito.

Festas

As festas nacionais são muito bacanas. Halloween, Thanksgiving, Natal, 4th July, Páscoa e muitas outras são bastante comemoradas. Por ser um país multicultural, o Thanksgiving é uma unanimidade com muito mais adesão que o Natal. As famílias tentam se encontrar nesta semana de novembro. O feriado acontece na última quinta-feira do mês mas as escolas costumam tirar mais dias de recesso. Durante todas estas datas, os eventos comemorativos pipocam nas comunidades pela cidade. Enfeites e mais enfeites. Consumismo a todo vapor nas lojas de decoração.

Faz parte da cultura americana o craft. O “faça você mesmo”!! Lojas imensas como IKEA e Home Depot, com produtos que oferecem todos os materiais necessários para a reforma, reparos  e construção. Móveis desmontados. Claro que tem a opção de alguém montar por um custo. A grande maioria por aqui entende um pouco de marcenaria e consertos de casa. A mão de obra é muito cara e assim qualquer serviço, bom ou ruim, sai bem mais caro com o que estamos acostumados a pagar no Brasil. Adoro fazer as festinhas de aniversário dos meus filhos personalizadas e com um baixo custo.

Vestuário

Aqui não tem o uso de burca ou véu como é o caso de mudanças para países do Oriente Médio mas alguns hábitos americanos dependendo do local que a pessoa vá residir, um pouco mais conservador e familiar, podem bater um pouco com os trajes comuns de nós brasileiros. Os maiores vilões são os shorts curtos e mais colados e o biquíni. Nos clubes mais familiares devem ser os mais comportados possíveis para evitar situações mais constrangedoras. Aqui o sucesso são aqueles modelos de maiô parecidos da década de 60. Estou ainda com os meus brasileiros, mais comportados vamos dizer assim, até agora. Em alguns momentos não hesito e coloco um short por cima. Super comum por aqui. Brasileiras são criticadas pelo modo que se vestem por aqui? Acredito que sim mas nada diferente do que as próprias americanas dependendo do local que estejam. Já presenciei uma funcionária da escola do meu filho criticando os trajes de uma americana e em outra situação a professora do curso de inglês pediu para que uma européia não usasse saia tão curta. Enfim, fazer o que? São costumes locais e aderir aumentam as suas chances de uma melhor adaptação. Os trajes de banho também mudam para os homens e meninos que não costumam usar sunga mas um short. Fica a dica!!!

Alimentação

A comida americana varia muito de região para região. A cultura do fast food é forte. Os preços são bastante acessíveis. Os supermercados oferecem excelentes opções saudáveis. Claro que no dia a dia cada família adota o que é mais conveniente. Não compramos muitos alimentos prontos congelados embora seja tentador. Os preços de comida para quem mora aqui são bem baratos comparados com o Brasil. A maior preocupação atual é sobre os alimentos transgênicos.

5e2259bcc187ec96bd2e5ee2613762c5

No Texas, por influência mexicana forte temos o Tex Mex!!! Adoro!! Temos o famoso Barbecue, e devido a proximidade com o estado da Louisiana, a culinária cajun/creole que é mais apimentada e temperada está bastante presente nos cardápios dos restaurantes no Texas.

935_tex_mex

O almoço no Thanksgiving tem suas receitas tradicionais. O peru, o gravy ( espécie de molho de carne), a torta de pecan e muitas outras delícias estão presentes.

402px-S2CellA126-01

O post ficou grande e está faltando muitas outras coisas sobre o modo de viver por aqui. Quem tiver alguma coisa interessante que queira compartilhar ou que seja diferente da minha vivência em sua cidade deixe nos comentários.

Até o próximo!!!

Anúncios

19 pensamentos sobre “Vivendo no Texas – Choque Cultural!!!

  1. Parabéns pelo post daisy! super completo e explicativo. Muito do que voce escreveu acontece da mesma maneira aqui em Michigan, exceto que a comunidade latina aqui não é tão grande como nos estados sulistas.
    Grande abraço
    Juliana

  2. Boa noite,
    Vou mudar para Houston com a família e estamos em dúvida entre Woodlands, Katy ou Sugar land. Tenho uma filha de 10 anos e soube que nos três lugares as escolas são boas. O que vocês recomendam?

  3. Oi Gabriela, as três regiões são ótimas e com excelentes escolas públicas. Gosto das escolas de Katy pois tem grande diversidade cultural. Sugarland tem uma concentração maior de asiáticos e quase não tem latinos. Vai depender também do orçamento da casa para aluguel. Katy costuma achar casas muito boas, novas e com excelentes escolas públicas por um aluguel mais barato. Katy também tem mais brasileiros que as outras regiões. Adoro Katy para morar!! Woodland costuma ser mais caro. A questão mais importante é a distância do trabalho pois o trânsito é bem pesado nos horários de pico.
    Continue participando do blog!!
    Abraços!!

  4. Super obrigada pelo retorno, Daisy!! Gostaria de saber se vc tem um e-mail que possa me passar. Gostaria de tirar mais algumas dúvidas com vc. Beijos!

  5. Estou adorando seu blog! Estamos indo morar em Houston no fim do ano e acho que Woodlands e a melhor opcao para nos por causa do trabalho do meu marido que e na I45 e porque realmente as escolas parecem ser exelentes!
    Ja estive em Houston algumas vezes e acho que vc colocou muito certo… O transito e muito pesado! Super organizado mas horario de rush e complicado.
    Minha filha menor tem 3 anos e estava estudandoba questao do PK. Vc acha que vale a pena uma vez que as criancas nao falam ingles? Vc chegou a colocar seu filho menor? Ontigada pelas informacoes!!!! 😊

    • Olá Tila!! Obrigada e continue participando do blog!!
      The Woodlands é uma excelente opção. Adoro lá!! Acho lindo, organizado e realmente tem excelentes escolas públicas. Parece ser um pouco mais longe de Downtown que os outros subúrbios mas é pouca coisa e lá também tem tudo que precisa. Quando quiser ir em algum restaurante específico, museu, jogos e mil outras coisas bacanas de Houston chega em 40 minutos em horário sem trânsito intenso.
      Checa direitinho se o distrito oferece o PK pois nem todas as escolas tem este programa. O meu caçula frequentou o PK (3 horas por dia no Katy ISD) por três meses e como eu já falei no blog eu não vi um resultado na aquisição do idioma igual ao do mais velho que ficava no período integral e acredito que o problema maior tenha sido o pouco tempo na escola. Eu cheguei a procurar escola privada por meio período para complementar o PK mas já estava no fim do ano letivo e sem vagas. Assim que passaram os 3 meses e o ano letivo terminou ele frequentou o summer school por 1 mês integral na pública pois ele é aluno do ESL e depois 1 mês em horário integral em um summer camp privado. Após dois meses em horário integral obteve um avanço bem mais expressivo no inglês. Eu me arrependi de não ter colocado direto na privada mais pela questão da socialização. A barreira da língua isola a criança e ela começa com o papo de que não gosta da escola, que não quer ir para a escola, que não tem amigos e que os amigos ficam “perseguindo”. Aconteceu também com filhos de amigos no começo da adaptação do PK privado mas logo já pegam o inglês e as coisas melhoram bastante. Se o custo da escola privada não for um problema eu recomendo a privada para o PK em horário integral ou PK na pública em um turno e meio horário na privada. As escolas particulares até buscam ou levam de ônibus para a escola pública se for do interesse dos pais. Sempre lembrar que as crianças no PK são estrangeiras que não passam no teste de fluência da língua. Sempre haverá crianças melhores na fluência que outras. Varia muito. Algumas nasceram aqui. Tem crianças que começaram o ano letivo desde agosto e outras que acabaram de chegar de mudança. Gostaria de ouvir experiências positivas com o PK da pública mas a maioria das minhas amigas aqui os filhos fizeram o PK em escola privada.
      Boa sorte na escolha e depois me conta. Abraços!

      • Eu justamente estava procudando preco de PK em escola particular para ter uma nocao. Ela entende ingles mas so responde em portugues. Vi que a area de casa que estou vendo tem PK mas fiquei surpresa de saber que so quem pode se matricular e Nao fluente em ingles. De qqr forma vou dar uma checada pra ver a elementary publica como e.
        Tenho um de 13 anos tbm que vai finalizar o 7 ano aqui e como vamos nis mudar em decembro acredito que ele va entrar na metade do 7, nao acha? Vc sabe como foi a experiencia da adaptacao de criancas em torno deste idade ai? Meu unico receio e a adaptacao deles. Acho que esta e sempre maior preocupacao. Ele esta muito animado o que espero que ajude a separar as dificuldades.
        Obrigada pelo retorno! Tao bom falar com alguem que ja esta vivendo isso e esta bem! Da um alivio…

  6. Oi Tila,
    Escolas pre escolares aqui variam muito de preço. A média fica em torno de $800 dólares por mês por meio horário.
    Eu acredito que a sua menina será elegível para o PK público pois a prova não é tão simples/fácil de passar. Pelo menos é a experiência do Katy ISD. É muito comum crianças que nasceram aqui nos EUA não passarem no teste.
    A adaptação dos adolescentes não é tão simples devido ao caráter multicultural de Houston. Eu aconselho a procurar escolas em que a divisão étnica (brancos, negros, hispânicos e asiáticos) seja o mais variado possível. Os jovens aqui formam seus grupinhos meio fechados e é uma queixa de pais das outras nacionalidades. Claro que não é uma regra. Quanto ao inglês eu acredito que não será problema pois esta juventude hoje tem muito mais facilidade que nós. Os adolescentes que eu conheço aqui estão bem adaptados.
    Quanto a série que ele vai entrar depende. A escola irá avaliar. É provável que ele continue na 7 mas não é certo. Depois você me conta. 😉
    Abraços,
    Daisy

  7. Pingback: 1 ano e meio morando no Texas!!! | Alô Houston!!!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s